Aquisição Sustentável e a ISO 20400

Posted on Posted in Artigos e Publicações, LZ Ambiental
ISO 20400 e a Aquisição Sustentável

ISO 20400 e a Aquisição Sustentável. A avaliação do ciclo de vida de produtos tem se tornado uma temática globalmente discutida e amplamente difundida em razão das mudanças no hábito de consumo das pessoas. Em função destas mudanças, grandes e médias corporações estão voltando suas atenções para a temática de sustentabilidade corporativa. Os impactos ambientais e sociais envolvidos em processos de obtenção dos produtos e/ou serviços podem representar sérios danos à imagem corporativa, problemas jurídicos e até mesmo a perda de mercados e clientes.

Abordagem do Ciclo de Vida

A já regulamentada ISO 26001 – Responsabilidade Social, define abordagem do ciclo de vida como um conjunto de objetivos e ações capazes de reduzir os impactos ambientais e sociais na fabricação de produtos ou na obtenção de serviços, aumentando o desempenho socioeconômico ao logo de todo o ciclo de vida deste produto/serviço, desde a extração das matérias primas e a geração de energia, passando por produção e utilização, até o descarte ou recuperação no fim da vida.

Visando promover a aplicação do conceito de ciclo de vida associado a aquisição de matérias primas e insumos, o International Organization for Standardization – ISO juntamente com entidades internacionais, publicaram e aprovaram no final do ano passado a nova ISO 20400, uma norma orientadora e de acordo global para aquisições sustentáveis.

A publicação da norma técnica é resultado de um trabalho iniciado no ano de 2013, liderado pelo Brasil e França e que contou com a participação de mais de 50 países e organizações internacionais, como o PNUMA, o ACNUDH, a OCDE, Pacto Global da ONU, dentre outras.

A contribuição com a sustentabilidade nas relações comerciais e a atuação responsável tem se tornado fator de diferenciação e competitividade nas organizações, bem como de responsabilidade, uma vez que as organizações estão contribuindo, direta ou indiretamente, para o cumprimento dos objetivos do desenvolvimento sustentável aprovados pela Assembléia Geral da ONU em 2015.

A ISO 20400

Trata-se de uma norma orientativa ou seja, não possui requisitos e não é certificável. Fornece recomendações para incorporação de requisitos de sustentabilidade nas aquisições das organizações, visando, sobretudo, a aquisição eficaz, pragmática, consistente e eficiente. A norma pode ser aplicada por organizações de qualquer porte, sejam elas indústrias ou de serviços, de regime privado ou público e abrange todas as atividades produtivas.

Está fortemente baseada na norma BSI 8903 e ISO 26000 e possui uma abordagem voltada a aplicação dos requisitos de sustentabilidade nas políticas e estratégias de aquisições da organização. Na redação da norma é possível identificar os princípios norteadores da aquisição sustentável, dentre eles:

  • Responsabilidade das organizações pelos impactos promovidos na sociedade, na economia e no ambiente em decorrência de sua cadeia de fornecimento, levando em conta o ciclo de vida e seus produtos ou serviços;
  • Transparência nas suas decisões nas adjucações de contratos ou atividades que possam ter impactos na sociedade, na economia e no ambiente, promovendo uma cultura de transparência também aos seus fornecedores;
  • Comportamento ético e promover o comportamento ético em toda a sua cadeia de fornecimento;
  • Respeito as partes interessadas, respondendo aos interesses de todos os envolvidos no processo de aquisição;
  • Respeito as normas internacionais e ao Estado de Direito, bem como incentivar seus fornecedores a respeitarem os requisitos legais, avaliando periodicamente a conformidade legal;
  • Aplicação de soluções de transformação e inovações de modo a atingir seus objetivos de sustentabilidade, bem como incentivar estas práticas na cadeia de fornecimento;
  • Focar nas necessidades, fazendo aquisições somente do que é necessário, buscando alternativas mais sustentáveis em primeiro lugar;
  • Integrar a sustentabilidade em todas as suas práticas de aquisição existentes, de modo a maximizar os resultados;
  • Avaliar o custo global das operações, não só custos monetários, mas aqueles custos e benefícios para a sociedade, para o ambiente e para a economia.

A norma também aponta as vantagens e benefícios de aderir a sustentabilidade nas aquisições, dentre elas a resposta as expectativas de sustentabilidade dos clientes e consumidores, a otimização do uso de recursos e consequente redução de custos e impactos ambientais e sociais, maior gestão sobre o risco e reputação da marca, a quota de mercado, a capitalização de mercado, exposições legais, passivos financeiros, exposições morais e éticas, segurança na cadeia de fornecimento, vantagem competitiva, dentre outras.

Em linhas gerais a norma é um avanço significativo no contexto de sustentabilidade corporativa, oferece orientações de grande valor, em especial para setores que consomem insumos e matérias primas que possuem grande impacto ambiental e social.

A LZ Ambiental oferece uma gama ampla de serviços na área de sustentabilidade corporativa, como Assessoria Ambiental, Projetos de Sustentabilidade, Projetos para Sistemas de Gestão de Cadeia de Fornecimento Sustentável, Auditorias Ambientais, Diagnósticos, Planos e Programas, Treinamentos, dentre outros.

Solicite maiores informações através do nosso e-mail: sustentabilidade@lzambiental.com.br e conheça nossas soluções em sustentabilidade corporativa.

Referências: Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT, International Organization for Standardization – ISO, ISO DIS 20400, ISO 26001 e ISO 14040.